quinta-feira, janeiro 18, 2007

Via Pública


A via pública, meio de comunicação terrestre composta por faixa de rodagem, passeio ou berma e demais artefactos (Sinais, postes, placas topominicas, árvores, canteiros, etc...), a todos pertence e todos têm a obrigação cívica e moral de a preservar.

Se eventualmente algum de nós utilizar o espaço público para proveito próprio em título de exclusividade temporário, obras ou demais utilização, deve ter o cuidado de posteriormente do uso, deixar o espaço ocupado como o encontrou.

Até entendo que se tenham de executar obras para a colocação de tubos, cabos, etc...

Se não entendesse, não aceitaria o bem estar dos cidadãos que irão usufruir das melhores infra-estruturas que se fazem.

No entanto, essas obras, mais do que trazerem uma melhor qualidade de vida aos usufruários, vão trazer lucro económico a quem vai (empresas) explorar o fornecimento do serviço ou bem.

Destruir património privado ou público é punível por lei. Se assim é, então questiono, porque é que tenho de transitar com o meu veículo em estradas desniveladas ou grosseiramente esburacadas ? É que as estradas estão no estado que estão, porque empresas de água, luz, gás e cabo esburacam e não reparam convenientemente.

As estradas estão no estado que estão porque são construídas com material de 2ª ou 3ª categoria e remendadas com material de 4ª ou 5ª categoria.

As estradas estão da maneira como estão, porque as entidades públicas competentes (Câmaras Municipais e IEP) para quem desconto nos meus impostos, não fazem uma manutenção conveniente e credível, nem tão pouco fiscalizam as reparações ou obras que licenciam a empresas particulares.

Então, se a via pública também me pertence, eu exijo às entidades competentes que fiscalizem e actuem, por forma a manter a via pública, que também é minha, circulável, sem que eu esteja sujeito a buracos, fortes oscilações de pavimento e passeios intransitáveis devido à insuficiente largura dos mesmos, má projecção ou falta de manutenção.

Fiquem bem...

1 comentário:

Pensamentos Felizes disse...

Nem mais :)
Assino por baixo. Neste país fazem as estradas primeiro e os saneamentos depois.
Os terrenos vão compactando à medida que os carros passam. Ao abrir-se a vala para colocação de tubos a estrada fica com diferentes fases de compactação o que leva a diferentes assentamentos o que provoca depressões no piso isto sem contar com a questão do material aplicado e da compactação desse material...
bjs
Cris
P.S. gostei do novo look