terça-feira, junho 27, 2006

Passeios

Não é meu costume andar a pé. Devia, eu sei. pelo coração e pela barriga que já vai tendo uma saliência. Por vezes, lá dou uma caminhada. Falta-me tempo. (Bela desculpa).

Bem, apesar de não andar muito a pé, não quero com isto dizer que ando desatento ao espaço que se dá pelo nome de passeio. Nada disso. Até porque, tenho um certo cuidado com os idosos que andam na via pública. Sim... alguma preocupação.

Não do género de parar para ir a correr ajudar a atravessar a estrada, até porque não sou escuteiro. Fazia-o se fosse necessário. Sem problemas. Mas preocupo-me com o bem estar rodoviário deles. Afinal, certamente, um dia farei parte da equipa. Se me preocupar agora, quem sabe quando lá chegar, tudo estará melhor. Um investimento a longo prazo.

Como já estou a divagar demais, vamos mas é ao que interessa, "Passeios".

Quero alertar as entidades competentes (leia-se Câmara Municipal e Junta de Freguesia) para alguns problemas com alguns passeios. É apenas um alerta de chamada de atenção, nada de critica do género de "fulano X não faz ou fulano Y anda a brincar". Não, nada disso. Apenas um alerta que penso ser pertinente.

Acontece que existem passeios que em nada servem aqueles para os quais foram construídos...os peões. Falo daqueles passeios minúsculos em largura que, ou têm plantados no meio postes de luz, ou caixas de electricidade ou paragens de autocarros ou que simplesmente apresentam um piso inclinado e deveras escorregadio.

De tal ordem alguns apresentam esta última característica que são verdadeiras armadilhas. Um exemplo é a rua que liga a Rua 10 de Agosto à frente do Quartel Militar, no sentido ascendente. Esse passeio, além de muito estreito, é inclinado e muito, mas muito escorregadio. Para não falar dos postes de luz que tem e das caixas metálicas.

Sendo essa rua muito utilizada por idosos que se deslocam a umas clinicas de saúde no local, muitas são as vezes em que me cruzo com eles (idosos) a circularem utilizando a faixa de rodagem. Essa situação cria perigo para os próprios, assim como embaraço para os automobilistas.

Penso que será um ponto a ter em atenção.

Boa Noite

5 comentários:

castelo de areia disse...

A Figueira deve ser das cidades do País onde é mais agradável andar a pé e em segurança. São km e km de passeios largos.

Jorge Ortolá disse...

Sim, é verdade. Tem muitos passeios de agradável caminhada. Das poucas que faço...No entanto tem alguns que não ajudam muito, principalmente e como faço referência, os idosos.
Não é uma critica, mas sim um alerta.
Obrigado pela visita.

Anónimo disse...

Então e o passeio da Rua dos Combatentes...e da Rua do Hospital(pedra escorregadia)...e os carros em cima dos passeios...

Pedro Melo disse...

Olá obrigado pela visita. Gostei muito do seu blog. Estará brevemente linkado na minha página. Quanto a este post eu acho que tem toda a razão, como condutor a (poucos) mas alguns anos, e sem falar na minha condução que por vezes é pouco aconselhavel eu admito... eu estou sempre a tentar ter o maximo cuidado com o que me rodeia... E sem duvida que ha passeios que poem em risco a segurança principalmente dos peoes, que serão os mais vulneráveis... Belo post... muito atento!

Até à proxima.

Anónimo disse...

De acordo!
Mesmo os passeios da R. da República são um perigo para os passeantes, mesmo os mais novos. A calçada está torta, qualquer tropeção e zás... lá vamos nós! Já agora eu gostaria de saber quem teve esta "brilhante" ideia dos paralelepípedos em todo o lado. Aquela rua q vai da Farmácia Jardim (passe a publicidade) até ao Mercado parece o "mar alto"...Que raio!
E será que já alguém da Cãmara desceu aquela Rua que vai da Igreja Matriz até ao "café do Guedes"? Pelo passeio, escorrega e muito, pela rua idem aspas. Então se for em dia húmido ou com chuva... Já agora, srs do trânsito ou lá do quê, passem por lá, a pé e, se possível, de saltos altos LOL.
Fiquem bem. Paragéns pelo Blog Sr. Ortolá!