sábado, julho 29, 2006

O Capacete - Parte I



O Capacete.

O Capacete de Protecção é como os Seguros de Vida. Investimos na sua aquisição mas sempre naquela esperança de nunca fazer uso daquilo para o qual se destinam.

O capacete de Protecção faz parte da Segurança Passiva, pois apesar de estar sempre presente, na verdade não está a executar nenhuma função.

Temos vários tipos de capacete;
o Aberto,
o Integral e o
Integral de frente amovível.

Depois, existem uns suportes de cabeça que em nada protegem em caso de queda, podendo sim complicar a vida a quem os usa. estou a referir-me aos que são muito usados no Verão e que não mais são do que capacetes de equitação ou semelhantes.

Quando andamos de motociclo ou ciclomotor, para além de todo o resto do equipamento aconselhável (Luvas, botas, Cinta, calças e casaco apropriado), devemos utilizar o capacete de Protecção. Apesar de obrigatório, deve sempre passar pelo condutor o seu uso de livre vontade.

Quando escolhemos um capacete devemos procurar a melhor relação preço qualidade. Sempre e em primeiro lugar a qualidade.

Como vos disse, o Capacete de Protecção é um acessório onde devemos investir sem esperarmos o retorno.

Dos tipos de capacetes que vos falei, o que recomendo é o Integral de frente amovível. porquê ?! Uma simples razão: Em caso de acidente, se o acidentado entrar em paragem cardio-respiratória, este capacete permite uma intervenção de respiração artificial sem que haja necessidade de o remover (ao capacete).

Neste caso não se corre perigo imediato se houver fractura de crânio.

Este tipo de capacete para além do que referi anteriormente, ainda protege a face, o queixo e o Crânio Cervical..

Os capacetes Abertos não protegem a face nem o queixo e os Integrais fechados não permitem uma actuação por parte de um Socorrista sem que se tenha que proceder à remoção (do capacete).

Já os artefactos de equitação que são usados por muitos condutores de veículos motorizados de duas, três e quatro rodas, não protegem nada, proporcionando em caso de acidente lesões muito elevadas ao nível do crânio e da cervical. Essas lesões podem provocar danos irreparáveis no acidentado, como por exemplo a paralesia total, mais conhecida por tetraplégico.

Esta é uma realidade difícil de aceitar por parte de muitos utilizadores de veículos deste tipo.

Este é o primeiro Post sobre a matéria. num próximo irei falar da falsa alegação do calor na cabeça por parte de quem usa capacetes integrais fechados e de frente amovível.

Boa Noite

3 comentários:

veritas disse...

Olá! Tudo bem?
Tenho estado de férias, não tenho andado muito por aqui. Fico feliz em verificar que continuas com qualidade e eloquência o teu trabalho de formação e sensibilização de mentalidades vigilantes e previdentes na estrada. Acho que ainda tenho muito que aprender e tu que informar! Força pra continuar!

Jorge Ortolá disse...

Veritas,
Obrigado mais uma vez pela visita e pela mensagem.

José Alberto Mostardinha disse...

Olá Jorge:

Depois de visitar uma amiguinha minha, a Veritas, vim aqui dar uma espreitade-la.
E por falar em altruísmo...até se pode dizer isso do teu blog.

Falas de todos os modelos de capacete e da sua eficácia mas, já na parte final esqueces-te de referir aquele capacete que também evita uma morte certa...esse mesmo o preservativo.

É que é um dever de todos nós levar essa mensagem a todo o lugar e por vezes este jogo de palavras tem mais efeito do que mil cartazes.

Um abraço, e lá te espero no EG.