sexta-feira, setembro 22, 2006

Exame de condução

José Alberto Mostardinha propôs que eu falasse neste espaço acerca de exames de condução automóvel.

Pois bem, vou fazê-lo. Uma das razões porque foi um amigo que o propôs e outra porque se impõe a eliminação de uns mitos que acompanham estas provas.

Não vou falar de corrupção, até porque não tenho como prova-la ou a desmentir.

Vou apenas falar da minha experiência de quase 14 anos de instrução.

Nesta minha experiência de quase década e meia notei que, de uma forma natural, quem examina fez um "upgrade" na forma de examinar e avaliar.

Estas actualizações ficaram muito a dever-se à entrada de sangue novo no sistema de formação à capacidade do já existente se regenerar.

Aquela ideia de que os examinadores só querem chumbar os candidatos e dificultar a prova, não é verdade.

Têm os examinadores falhas de avaliação ??

São seres humanos, como tal estão sujeitos a elas.

Então qual é a formula mágica para aprovar no exame prático ?

- Não há uma formula mágica.

Do exame prático faz parte uma avaliação do conhecimento do veículo (vulgo mecânica).

Depois cabe ao examinador avaliar a capacidade de interacção que o examinando tem para com os demais elementos da via, sinalização e regras de trânsito.

É feita uma avaliação à destreza do candidato a condutor e à sua capacidade de condução.

Resumindo e simplificando, um candidato a condutor que na sua prova prática transmita segurança, confiança proporcione uma comodidade a quem o examina, não pratique contra-ordenações graves ou muito graves e tenha destreza na realização de manobras, pode ter a certeza que o seu examinador o vai aprovar.

Agora aquela pessoa que transgride, tem estados de ansiedade elevados e não apresenta destreza e concentração na condução... tem de repetir a prova.

Quando isto acontece, não vale a pena atribuir a culpa aos outros, mas sim pensar se não precisará de mais lições.

Quando a desculpa é "o exame", não se esqueça que toda a sua vida de condutor(a), vai ser um exame permanente.

Pela primeira vez em quase 14 anos de profissão, um examinador me disse, à frente de dois alunos, as seguintes palavras: "O meu trabalho o Jorge fá-lo com facilidade, agora o seu eu não o faria tão bem".

Devo confessar que, sem perder a pose séria que ostento naquelas ocasiões, me senti todo babado. (tragam o lençol. eh!eh!eh!)

Boa noite

7 comentários:

Ricardo disse...

Por acaso já viu aquele programa da SIC chamado "O pior Condutor de Sempre"?
Não sei até que ponto chegará a actuação dos intervenientes, mas a serem autenticos, há muita gente com carta de condução sem ter a minima noção do que é "conduzir uma viatura".
Então na estrada... vê-se coisas incriveis!
Abraço

Mariana disse...

Antes de mais. Obrigada pela visita. Será sempre bem vindo.

Quanto ao tema do post, ando à dias para pedir o meu. Sempre que vou às aulas vejo gente diferente todos os dias a lamentar-se por ter reprovado com questões de resposta um tanto ou quanto simples, mas com opções de resposta mirabolantes.

Mas é como tudo na vida, se se estiver devidamente preparado, independentemente do jogo sujo, poderemos não ter um desempenho brilhante, mas a boa preparação será suficiente para o "safanço".

Cumprimentos.

José Alberto Mostardinha disse...

Viva Jorge:

Espero que este seja o primeiro de mais artigos sobre como o aluno deve proceder para ter sucesso no exame de código/condução.

Bom fim de semana.
Um abraço,

Jorge Ortolá disse...

Ricardo: Olá. Aquele é um programa de entertenimento.

Eu gostava de os ver com uma aluna que tive , encartada desde 1955 e que nunca mais conduziu...

Mariana: Olá.

Pedir o exame de código ou de condução? Se for o de condução, basta que estejas preparada e confiante nas tuas possibilidades. lembra-te de uma coisa... ali não está ninguém para te dar o que quer quer seja. Tens de fazer por mereceres.

Acima de tudo lembra que, se não fores tu a confiares em ti própria, quem confiará ?

O exame teórico não tem nada de saber. Compreende o que lês no Código da Estrada, tira as dúvidas com o teu instrutor e vai lá com confiança.

Se eu puder esclarecer alguma matéria, não hesites.

beijos

José Alberto: Olá amigo,

Sempre que possa ser útil assim o serei.

Acredita que não conheço nenhum colega que ministre as aulas teóricas e práticas como eu o faço. Sou melhor? Sou pior ? Não sei, sou apenas eu e faço-o de forma a que todos compreendam o que quero transmitir.

Utilizo material oficial e material que desenvolvo em casa.

Cumprimentos e bom fim de semana

veritas disse...

Olá Jorge!

É uma merecida referência real. Eu estou a acreditar que afinal ainda existe altruísmo...

Bjs.

Anónimo disse...

è claro que não há corrupção...Bah! voçe deve querer que sejamos todos loiros o quê ? Oh Homem fale mas não diga baboseiras!

Jorge Ortolá disse...

Para o anónimo:

Seja lá quem você é, se sabe que existe corrupção só tem de a denunciar.

Mas se for tão corajoso como é a assinar os comentários que deixa, então...

Tenha coragem e denuncie.